Niterói é o primeiro município brasileiro a lançar um site sobre a Década do Oceano

Niterói é o primeiro município brasileiro a lançar um site sobre a Década do Oceano

O município de Niterói, na região Metropolitana do Rio de Janeiro, é o primeiro a lançar um site sobre a “Década do Oceano” no Brasil. Desenvolvida pelo Escritório de Gestão de Projetos (EGP) da Prefeitura de Niterói, a plataforma “Oceano que Queremos”, que entrou no ar na última quinta-feira, (12/05), concentra iniciativas ligadas à preservação dos mares e dos oceanos desenvolvidas em Niterói. A plataforma inclui um Painel de Mapeamento das propostas ligadas ao assunto. Até o momento são 12 os projetos cadastrados. A plataforma inclui também narrativas sobre os “Heróis do Oceano”, com pessoas que contribuem para a qualificação ambiental das praias e do oceano no município.

O objetivo do projeto é engajar o poder público, pescadores, atletas, acadêmicos, e toda a população nos estudos e reflexões sobre os oceanos. Na plataforma serão postadas notícias sobre Niterói, eventos e referências sobre os mares e o oceano.

A plataforma “Oceano que Queremos” faz parte da agenda Década da Ciência Oceânica do município, que, sua vez, está alinhada à Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU).

Para o prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), é de grande importância que os poderes públicos locais assumam a liderança de agendas, como a proteção dos oceanos. “Nos últimos anos, Niterói alcançou 96% de tratamento de esgoto e investimos em programas como o Enseada Limpa, que aumentou a balneabilidade da enseada de Jurujuba de 19,23%, em 2013, para 58% em 2021. É urgente que, cada vez mais, os municípios assumam seu protagonismo nas ações em defesa do Meio Ambiente e na mitigação das mudanças climáticas. A sustentabilidade pautará o futuro ou não haverá futuro”, disse o prefeito de Niterói.

Axel Grael comentou ainda que Niterói tem tradição vinculada às atividades marítimas, à economia do mar e aos esportes náuticos.

“O oceano está dentro do nosso cotidiano, ele emoldura nossa cidade e se traduz em muitas oportunidades para o desenvolvimento sustentável de Niterói. Nossa tradição em esportes marítimos, na pesca e na indústria naval mostra a importância da preservação do oceano, imprescindível também para alavancar uma série de atividades ligadas ao turismo. Somos sede da Esquadra Brasileira, uma parte da população convive com o mar diariamente atravessando a Baía de Guanabara, a orla é usada para o lazer. Ao proteger os oceanos e todo seu ecossistema, além de preservar as espécies, estamos investindo em inclusão social, saúde e geração de empregos”, enfatizou o Grael.

A secretária do Escritório de Gestão de Projetos, Valéria Braga, comentou que a criação da Década das Ciências Oceânicas se iniciou através de um pequeno Fórum Municipal. “A Agenda começou com um Fórum Municipal que promoveu debates com profissionais que estudam ou trabalham com os Oceanos, e possibilitou parcerias, conhecimento e trouxe muita inspiração. A partir do Fórum foi criado um hub para a Agenda Municipal da Década do Oceano, onde todos poderão divulgar suas iniciativas ligadas aos Oceanos, em Niterói, ou que impactem o município”, explicou a secretária.

Fonte: Diário do Rio